Ações da Unesc em combate

Serviço de teletriagem referenciada para evitar que pessoas com sintomas da doença saiam de casa

Serviço online gratuito de atendimento e apoio psicológico à população.

Milhares de litros de álcool em gel já foram produzidos e distribuídos para pessoas em situação de rua ou vulnerabilidade social, além de Hospitais e Unidades Básicas de Saúde da Região.

Nossos laboratórios já produziram e distribuíram mais de 800 máscaras com maior vedação e proteção pra profissionais da saúde que atuam no SAMU, Hospitais e nas Clínicas Integradas Unesc.

Fomos pioneiros no sistema de DriveThru na campanha de vacinação contra a H1N1 para idosos e profissionais da saúde

A Unesc criou cartilhas informativas para a população sobre os cuidados essenciais contra a Covid-19, importância da alimentação saudável e do uso correto de medicamentos

A Unesc criou um comitê para auxiliar e orientar profissionais de empresas da região

A Unesc sedia a Sala de Situação da Secretaria Municipal de Saúde, que acompanha o avanço da doença

A Unesc está utilizando um equipamento produzido pela Universidade e que usará água ionizada para desinfecção de locais e objetos

Mais de 150 alunos dos cursos de Medicina, Enfermagem, Fisioterapia e Farmácia da Unesc atuam como residentes ou estagiários, em ações de combate ao coronavírus. As áreas de atuação vão desde o teleatendimento da Prefeitura, quanto Unidades Básicas de Saúde, Hospitais e Farmácias.

A Universidade montou um comitê junto dos municípios da região para criar estratégias que impeçam o avanço da contaminação

Nossos professores estão projetando respiradores para serem fabricados e ajudarem no atendimento de pessoas com sintomas graves

Comissão de Permanência

A Unesc está utilizando um equipamento produzido pela Universidade e que usará água ionizada para desinfecção de locais e objetos

Mais de 150 alunos dos cursos de Medicina, Enfermagem, Fisioterapia e Farmácia da Unesc atuam como residentes ou estagiários, em ações de combate ao coronavírus. As áreas de atuação vão desde o teleatendimento da Prefeitura, quanto Unidades Básicas de Saúde, Hospitais e Farmácias.

A Universidade montou um comitê junto dos municípios da região para criar estratégias que impeçam o avanço da contaminação

Nossos professores estão projetando respiradores para serem fabricados e ajudarem no atendimento de pessoas com sintomas graves

Prevenção

Cuide da sua saúde e proteja os outros, adotando alguns cuidados:

Ativo 8D

Lave as suas mãos frequentemente com água e sabão, esfregando até o pulso e por pelo menos 20 segundos

Ativo 15A

Caso não possa lavar suas mãos, utilize álcool em gel para sua higienização

Ativo 5B

Evite tossir ou espirrar nas mãos. Faça isso na parte interna do cotovelo ou utilize um lenço de papel descartável

Ativo 13A

Higienize as mãos após tossir, espirrar, encostar em objetos e antes de se alimentar

Ativo 2B

Evite tocar nos olhos, nariz e boca quando suas mãos não estiverem devidamente higienizadas

Ativo 14D

Limpe e desinfete objetos e superfícies tocados com frequência

Espaço do Estudante 2

Não se esqueça de higienizar celulares, chaves, mouse, teclado do computador, maçanetas e fones de ouvido. Evite compartilhar objetos de uso pessoal como talheres, copos, garrafas, maquiagem, canetas e celulares.

Ativo 3A

Mantenha pelo menos 1,5m de distância entre você e qualquer pessoa, principalmente em locais fechados

Ativo 12C

Evite circulação desnecessária nas ruas, estádios, teatros, shoppings, shows, cinemas e igrejas. Se puder, fique em casa.

Ativo 1A

Se for necessário sair ou se apresentar sintomas semelhantes à gripe, utilize máscaras caseiras ou artesanais feitas de tecido. A máscara deve ficar ajustada para cobrir todo o nariz e boca.

Ativo 6B

Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, e fique em casa até melhorar. Caso seja imprescindível sair, use máscara e higienize suas mãos com frequência

Espaço do Estudante 3

Ao apresentar sintomas como febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico. Se tiver dúvidas, você pode entrar em contato com a Teletriagem Referenciada da Unesc.

Ativo 2mascara11

Limpe os sapatos nos tapetes sanitizantes espalhados por todo o Campus

Uso obrigatório de máscara no Campus e nos Polos da Universidade

Manter os ambientes de sua permanência ventilados

Higienize suas mãos com frequência

Não retornar à Universidade em caso de sintomas gripais

Evite aglomerações

Como usar a máscara de tecido

Como usar a máscara de tecido

Uso correto da máscara contra o COVID-19
  • Cubra o nariz e o queixo;
  • Ajuste-a para que não haja vãos nas laterais;
  • Encoste apenas nos elásticos;
Uso correto da máscara contra o COVID-19
  • Tire a máscara de trás para frente, segurando pelos elásticos.
Uso correto da máscara contra o COVID-19
  • Ao descartar, coloque a máscara em um saquinho, antes de jogá-la na lixeira.
Uso correto da máscara contra o COVID-19

Não deixe o nariz descoberto

Uso correto da máscara contra o COVID-19

Não deixe o queixo exposto

Uso correto da máscara contra o COVID-19

Não use máscara larga, com vãos nas laterais

Uso correto da máscara contra o COVID-19

Não cubra apenas as narinas

Uso correto da máscara contra o COVID-19

Não puxe a máscara para o queixo

Uso correto da máscara contra o COVID-19

Não encoste na superfície da máscara ao colocá-la ou tirá-la

Uso correto da máscara contra o COVID-19

Não deixe a máscara em cima da mesa

Sintomas

Ativo 1C

Febre

Ativo 2C

Tosse seca

Ativo 3C

Dificuldade para respirar e/ou aperto no peito

Ativo 6C

Cansaço, dor muscular e/ou nas articulações

Em caso de sintomas gripais, acione o SOS Unesc Covid-19 para orientações.
Ele é o nosso canal de comunicação para esclarecimento de dúvidas e orientações no WhatsApp: (48) 9 9183-8663

COMO SE VESTIR

  • Evite usar adornos (brincos, pulseiras e correntes);
  • Recomenda-se prender os cabelos;
  • Usar calçados fechados e roupas compridas, para minimizar áreas de exposição da pele;
  • Não usar maquiagem e barba comprida.

UTILIZAÇÃO DE BEBEDOUROS

  • Não colocar a boca na saída ejetora de água;
  • A equipe de limpeza fará a desinfecção frequente do equipamento com álcool 70%;
  • Utilizar copos e garrafas de casa para uso individual no bebedouro;
  • Ao encher garrafas de água ou copos, evite encostá-los na saída de água.

RESTAURANTES, CANTINAS E REFEITÓRIOS

  • Verificar a capacidade do restaurante/cantina;
  •  Respeitar as demarcações de distanciamento social (1,5m);
  • Fazer assepsia com álcool 70%;
  • Respeitar quantidade máxima dentro do restaurante, cantina ou refeitório;
  • Respeitar o horário de permanência;
  • Retirar a máscara e guardar em saco plático próprio somente no momento de realizar a refeição. 

UTILIZAÇÃO DE BEBEDOUROS

  • Não colocar a boca na saída ejetora de água;
  • A equipe de limpeza fará a desinfecção frequente do equipamento com álcool 70%;
  • Utilizar copos e garrafas de casa para uso individual no bebedouro;
  • Ao encher garrafas de água ou copos, evite encostá-los na saída de água.

USO DE EPIs

EPIs NECESSÁRIOS PARA ATENDIMENTO POR GRAU DE RISCO

Alto Risco

Compreendem os profissionais e acadêmicos com alto potencial de contato com pessoas ou amostras biológicas que possam estar infectadas ou não com o novo coronavírus. 

Exemplos:

  • Clínicas integradas;
  • Laboratórios de ensino que manipulem amostras biológicas;
  • Estágios externos na área da saúde.

EPIs:

  • PFF2;
  • Avental;
  • Protetor facial;
  • Luvas;
  • Calçados fechados.

Médio Risco

Compreendem os profissionais e acadêmicos que prestem atendimento administrativo a pessoas que possam estar infectadas ou não com o novo coronavírus. 

Exemplos:

  • Centros de Práticas Jurídicas;
  • Casas da Cidadania.

EPI:

  • Máscara de tecido.

Baixo Risco

Compreendem os profissionais e acadêmicos que realizam suas atividades sem contato direto com pessoas que possam estar infectadas ou não com o novo coronavírus.

Exemplos:

  • Laboratórios de Informática;
  • Laboratórios de Ensino da Área da Saúde;
  • Laboratórios de Ensino das Engenharias;
  • Centro de Práticas Contábeis;
  • Centro de Práticas Econômicas;
    Centro de Práticas Administrativas.

EPI:

  • Máscara de tecido.
  1. Colocar a máscara na palma e deixar os elásticos caídos livremente;
  2. Adaptar a máscara à face;
  3. Coloque o elástico superior por trás da cabeça;
  4. Coloque o elástico inferior ao redor do pescoço, abaixo da orelha;
  5. Ajustar a pinça nasal. Realize o teste de respiração e expiração para ajustar vazamentos.
  • As luvas de procedimento devem ser usadas pelos profissionais de saúde sempre que tiver risco de exposição a material biológico e em pacientes que estão em precaução de contato;
  • As luvas devem ser colocadas imediatamente antes da assistência ao paciente e após a higienização das mãos, devendo ser removidas logo após a assistência ao paciente e descartadas como resíduo infectante;
  • Deve-se realizar a higiene das mãos após retirada da luva;
  • Não tocar desnecessariamente em superfícies e materiais (telefones, maçanetas, portas e outros), enqaunto estiver com luvas;
  • As luvas são descartáveis e nunca devem ser reutilizadas;
  • Lembre-se que o uso de luvas não substitui a higienização das mãos;
  • Técnica para retirada das luvas: retire as luvas puxando a primeira pelo lado externo do punho com os dedos da mão oposta; segure a luva removida com a outra mão enluvada; toque a parte interna do punho da mão enluvada com o dedo indicador oposto (sem luvas) e retire a outra luva.

Os protetores faciais, que cubram a frente e os lados do rosto, devem ser utilizados quando houver risco de exposição do profissional a respingos de sangue, secreções corporais, excreções e gotículas. Após o seu uso, realizar limpeza com água e sabão e posterior desinfecção com álcool líquido 70%, hipoclorito de sódio ou outro desinfetante recomendado.

Protocolo de entrada em casa

Ao voltar para casa, não toque em nada antes de se higienizar

Tire os sapatos. O ideal é utilizar sapatos para sair de casa e outros especificamente para andar dentro da residência

Desinfete as patas do seu pet após passear com ele

Tire a roupa e coloque-a em uma sacola plástica no cesto de roupas

Deixe bolsa, carteira, chaves etc em uma caixa na entrada

Tome banho. Se não puder, lave bem todas as áreas expostas

Limpe seu celular, os óculos e fones de ouvido com álcool 70%

Limpe as embalagens que trouxe de fora antes de guardar

Tire as luvas com cuidado, jogue-as fora e lave as mãos

Lembre-se que não é possível fazer uma desinfecção total. O objetivo é reduzir os riscos

Protocolo para sair de casa

Ao sair, coloque uma jaqueta de manga longa

Prenda o cabelo e evite usar brincos, anéis, relógios ou gargantilhas

Evite usar o transporte público. Ao utilizar, siga as recomendações de higiene e medidas preventivas.

Se sair com seu pet, tente evitar que ele se esfregue em superfícies externas

Leve lencinhos descartáveis e use-os para tocar as superfícies. Amasse o lenço e jogue-o em um saco fechado dentro da lata de lixo

Ao tossir ou espirrar, utilize um lenço descartável ou a parte interna do cotovelo

Evite usar dinheiro. Se necessário, higienize imediatamente as mãos

Lave ou higienize suas mãos após tocar qualquer objeto ou superfície

Não toque seu rosto antes de higienizar suas mãos

Mantenha distância das pessoas

Perguntas Frequentes

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19). Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

COVID-19 é uma doença causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, que apresenta um quadro clínico que varia de infecções assintomáticas a quadros respiratórios graves. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a maioria dos pacientes com COVID-19 (cerca de 80%) podem ser assintomáticos e cerca de 20% dos casos podem requerer atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória e desses casos aproximadamente 5% podem necessitar de suporte para o tratamento de insuficiência respiratória (suporte ventilatório).

A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo por meio de:
• Toque do aperto de mão;
• Gotículas de saliva;
• Espirro;
• Tosse;
• Catarro;
• Objetos ou superfícies contaminadas, como celulares, mesas, maçanetas, brinquedos, teclados de computador etc.

As recomendações de prevenção à COVID-19 são as seguintes:

  • Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%.
  • Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos.
  • Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Ao tocar, lave sempre as mãos como já indicado.
  • Mantenha uma distância mínima de cerca de 2 metros de qualquer pessoa tossindo ou espirrando.
  • Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote um comportamento amigável sem contato físico, mas sempre com um sorriso no rosto.
  • Higienize com frequência o celular e os brinquedos das crianças.
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos.
  • Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.
  • Evite circulação desnecessária nas ruas, estádios, teatros, shoppings, shows, cinemas e igrejas. Se puder, fique em casa.
  • Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, e fique em casa até melhorar.
  • Durma bem e tenha uma alimentação saudável.
  • Utilize máscaras caseiras ou artesanais feitas de tecido em situações de saída de sua residência.

Sim. Vírus respiratórios podem ser transmitidos através de apertos de mãos e quando tocamos mucosas como os olhos, o nariz e a boca.

Cumprimente as pessoas com um aceno ou verbalmente.

Não. Lavar regularmente as mãos nuas oferece mais proteção contra pegar o COVID-19 do que usar luvas de borracha.
Você ainda pode detectar contaminação por coronavírus em luvas de borracha. Se você tocar em seu rosto, a contaminação vai da sua luva para o seu rosto e pode infectá-lo.

Os sintomas da COVID-19 podem variar de um simples resfriado até uma pneumonia severa. Sendo os sintomas mais comuns:

  • Tosse seca
  • Febre
  • Coriza
  • Dor de garganta
  • Dificuldade para respirar
  • Cansaço

Outros sintomas menos comuns e que podem afetar alguns pacientes incluem:

  • Dores
  • Congestão nasal
  • Dor de cabeça
  • Conjuntivite
  • Diarréia ou outros sintomas gastrointestinais
  • Perda de paladar ou olfato
  • Erupção cutânea
  • Descoloração dos dedos das mãos ou dos pés
  • Pneumonia

Vale lembrar que algumas pessoas são infectadas, mas apresentam apenas sintomas muito leves ou mesmo permanecem assintomáticos.

Se você tiver sintomas menores, como tosse ou febre leves, geralmente não há necessidade de procurar atendimento médico. Nesses casos, se auto-isolar e monitorar a evolução dos sintomas é suficiente. 

Caso esteja em dúvida entre procurar atendimento médico ou não, entre em contato com a Teletriagem Referenciada da Unesc através do Whatsapp (através do ícone no canto inferior direito da tela).

Procure atendimento médico imediato se tiver dificuldade de respirar ou dor/pressão no peito. 

Ao comparecer ao serviço de saúde, use máscara, se possível, e mantenha pelo menos 1 metro e meio de distância de outras pessoas e não toque nas superfícies com as mãos. Higienize as mãos lavando-as com água e sabão (por pelo menos 20 segundos) ou, caso não possa, utilize álcool em gel. 

Caso você se sinta doente, com sintomas de gripe, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos e fique em casa por 14 dias. 
Só procure um hospital de referência se estiver com falta de ar.

Em caso de diagnóstico positivo para COVID-19, siga as seguintes recomendações:

  • Fique em isolamento domiciliar.
  • Utilize máscara o tempo todo.
  • Se for preciso cozinhar, use máscara de proteção, cobrindo boca e nariz todo o tempo.
  • Depois de usar o banheiro, nunca deixe de lavar as mãos com água e sabão e sempre limpe vaso, pia e demais superfícies com álcool ou água sanitária para desinfecção do ambiente.
  • Separe toalhas de banho, garfos, facas, colheres, copos e outros objetos apenas para seu uso.
  • O lixo produzido precisa ser separado e descartado.
  • Sofás e cadeiras também não podem ser compartilhados e precisam ser limpos frequentemente com água sanitária ou álcool 70%.
  • Mantenha a janela aberta para circulação de ar do ambiente usado para isolamento e a porta fechada, limpe a maçaneta frequentemente com álcool 70% ou água sanitária.

Caso o paciente não more sozinho, os demais moradores da devem dormir em outro cômodo, longe da pessoa infectada, seguindo também as seguintes recomendações:

  • Manter a distância mínima de 1 metro entre o paciente e os demais moradores.
  • Limpe os móveis da casa frequentemente com água sanitária ou álcool 70%.
  • Se uma pessoa da casa tiver diagnóstico positivo, todos os moradores ficam em isolamento por 14 dias também.
  • Caso outro familiar da casa também inicie os sintomas leves, ele deve reiniciar o isolamento de 14 dias. Se os sintomas forem graves, como dificuldade para respirar, ele deve procurar orientação médica.

Se alguém da sua família estiver doente, apresentando sintomas similares aos de gripe ou resfriado (como febre e tosse), tome as seguintes precauções:

  • Evite exposição desnecessária com a pessoa doente;
  • Evite compartilhar itens como talheres, pratos, copos, bebidas, roupas de cama, roupas de uso pessoal e toalhas;
  • Lave suas mãos com água e sabão frequentemente, principalmente:
    • Após tossir ou espirrar;

    • Ao cuidar de alguém doente;

    • Antes, durante e depois de preparar a comida;

    • Antes de comer;

    • Após o uso do banheiro;

    • Quando as mãos estiverem visivelmente sujas;

    • Após manusear animais ou resíduos animais.

  • Monitore as condições de saúde de todos da família, observando sintomas como tosse e medindo sua temperatura. Se alguém apresentar dificuldade respiratória, entre em contato com o sistema de saúde imediatamente.

O diagnóstico da COVID-19 é realizado primeiramente pelo profissional de saúde que deve avaliar a presença de critérios clínicos:

  • Pessoa com quadro respiratório agudo, caracterizado por sensação febril ou febre, que pode ou não estar presente na hora da consulta (podendo ser relatada ao profissional de saúde), acompanhada de tosse OU dor de garganta OU coriza OU dificuldade respiratória, o que é chamado de Síndrome Gripal.
  • Pessoa com desconforto respiratório/dificuldade para respirar OU pressão persistente no tórax OU saturação de oxigênio menor do que 95% em ar ambiente OU coloração azulada dos lábios ou rosto, o que é chamado de Síndrome Respiratória Aguda Grave

Caso o paciente apresente os sintomas, o profissional de saúde poderá solicitar exame laboratoriais:

  • De biologia molecular (RT-PCR em tempo real) que diagnostica tanto a COVID-19, a Influenza ou a presença de Vírus Sincicial Respiratório (VSR).
  • Imunológico (teste rápido) que detecta, ou não, a presença de anticorpos em amostras coletadas somente após o sétimo dia de início dos sintomas.

O diagnóstico da COVID-19 também pode ser realizado a partir de critérios como: histórico de contato próximo ou domiciliar, nos últimos 7 dias antes do aparecimento dos sintomas, com caso confirmado laboratorialmente para COVID-19 e para o qual não foi possível realizar a investigação laboratorial específica, também observados pelo profissional durante a consulta.